quinta-feira, 30 de agosto de 2018

O sobrenome Gandhi volta a dominar a Índia

Artigo de 2004

O sobrenome Gandhi volta a dominar a Índia

Jawaharlal Nehru e Mahatma Gandhi
Nehru e Mahatma Gandhi lideraram a Índia na independência da Grã-Bretanha
O Partido do Congresso, que retornou ao poder nestas eleições gerais na Índia, foi formado em 1885 e liderou a luta para libertar o país do domínio britânico.

O primeiro líder, Mohandas Karamchand Gandhi, mais tarde chamado de Mahatma, começou a ligação entre os Gandhi e o Congresso.
Mas a dinastia de políticos e primeiro-ministros que o Congresso abrigou é mais apropriadamente chamada Nehru-Gandhi.
O primeiro-ministro da Índia depois da separação da Grã-Bretanha, Jawaharlal Nehru, e seus sucessores - Indira, Rajiv e agora, possivelmente, Sonia - não tinham parentesco com o Mahatma.

Não violência

A filha de Nehru, Indira, recebeu o sobrenome Gandhi de seu marido, Feroze.
Mahatma Gandhi permanece como a alma do Congresso. Nascido em 1869 em Porbandar, ele desenvolveu um método de ação social baseado nos princípios da coragem, da verdade e da não violência.
Ele acreditava que a resistência passiva e a desobediência civil são os métodos mais apropriados para alcançar os objetivos políticos e sociais.
Mahatma viveu para ver o seu sonho de independência. Em 1948 ele foi assassinado por um fanático hindu que se opunha a sua tolerância em relação a todos os credos e religiões.
Um dos aliados de primeira hora de Mahatma no Congresso era Motilal Nehru, que morreu em 1931.

Princípios

Na independência, o Congresso se voltou para seu filho, Jawaharlal, para assumir a responsabilidade de ser o primeiro-ministro da Índia.
Ele governou por 17 anos até sua morte em 1964 e estabeleceu os princípios para o partido se comportar no poder: secularismo, socialismo e não-alinhamento em política estrangeira.
Dois anos depois de sua morte, sua filha única, Indira, assumiu o posto de primeiro-ministro.
Ela governou por 15 anos, de 1966 a 1977 e de 1980 a 1984, levando a Índia à guerra de 1971 contra o Paquistão, que resultou na criação de Bangladesh.
A campanha que ela fez contra os sikhs que estavam procurando a independência no Punjab também foi igualmente polêmica.
Ela deu ordens para o ataque do lugar mais sagrado para os sikhs, o Templo Dourado, em Amristar, em 1984, que deixou 450 pessoas mortas.

Assassinada

Cinco meses depois, Indira Gandhi foi assassinada a tiros por seus guarda-costas sikhs.
Embora a dinastia Nehru-Gandhi tenha vencido as eleições seguintes, com muitos votos de simpatia, os sucessores de Indira não foram felizes.
O filho mais novo de Indira, Sanjay, que estava sendo preparado para o cargo, morreu em um acidente aéreo em 1980.
Assim, Rajiv se tornou o primeiro-ministro mais jovem da Índia.
O país precisava desesperadamente ser modernizado e reduzir sua burocracia.
Em 1991, Rajiv foi assassinado num ataque suicida atribuído a rebeldes dos Tigres Tamis, do Sri Lanka.

Inexperiência

Sem um Gandhi no comando, o Partido do Congresso pareceu ser levado pela corrente.
Embora tenha feito dois primeiro-ministros de fora da dinastia, o partido estava dividido e dominado por uma minoria.
Sonia Gandhi tinha se voltado para sua vida particular, de luto pela morte de seu marido, mas o Congresso se voltou para ela aparentemente em desespero, para que ela o tirasse da posição ruim em que se encontrava.
Os sinais iniciais não foram bons, já que a inexperiência política de Sonia parecia mais importante do que o carisma em torno do nome da família.
Sua origem italiana também foi motivo de críticas entre os nacionalistas.
Mas o Partido do Congresso confiou na herança da dinastia, e na quinta-feira viu a roda da fortuna virar a seu favor.


Dr. Altino Santiago, um Homem Bom

Fátima Santiago compartilhou uma publicação.
8 h
Hoje meu pai faria 92 anos de vida. Sei q está num lugar bom porque foi um homem do bem por isso a saudade não me deixa triste. Viva Dr. Altino, que não tinha doutorado, mas era um homem sábio. Rimou.

O beijo em Nehru

Investigação: Quem é essa garota, que está beijando Jawaharlal Nehru nesta foto viral. The Lallantop

Mulheres que beijam o primeiro primeiro-ministro da Índia, Pandit Jawaharlal Nehru, em fotos virais nas mídias sociais, são na verdade sua sobrinha Nayantara Sehgal e sua irmã vijayalakshmi pandit.

 


O sobrenome Gandhi volta a dominar a Índia

Jawaharlal Nehru e Mahatma Gandhi
Nehru e Mahatma Gandhi lideraram a Índia na independência da Grã-Bretanha
O Partido do Congresso, que retornou ao poder nestas eleições gerais na Índia, foi formado em 1885 e liderou a luta para libertar o país do domínio britânico.
O primeiro líder, Mohandas Karamchand Gandhi, mais tarde chamado de Mahatma, começou a ligação entre os Gandhi e o Congresso.
Mas a dinastia de políticos e primeiro-ministros que o Congresso abrigou é mais apropriadamente chamada Nehru-Gandhi.
O primeiro-ministro da Índia depois da separação da Grã-Bretanha, Jawaharlal Nehru, e seus sucessores - Indira, Rajiv e agora, possivelmente, Sonia - não tinham parentesco com o Mahatma.
Não violência
A filha de Nehru, Indira, recebeu o sobrenome Gandhi de seu marido, Feroze.
Mahatma Gandhi permanece como a alma do Congresso. Nascido em 1869 em Porbandar, ele desenvolveu um método de ação social baseado nos princípios da coragem, da verdade e da não violência.
Ele acreditava que a resistência passiva e a desobediência civil são os métodos mais apropriados para alcançar os objetivos políticos e sociais.
Mahatma viveu para ver o seu sonho de independência. Em 1948 ele foi assassinado por um fanático hindu que se opunha a sua tolerância em relação a todos os credos e religiões.
Um dos aliados de primeira hora de Mahatma no Congresso era Motilal Nehru, que morreu em 1931.
Princípios
Na independência, o Congresso se voltou para seu filho, Jawaharlal, para assumir a responsabilidade de ser o primeiro-ministro da Índia.
Ele governou por 17 anos até sua morte em 1964 e estabeleceu os princípios para o partido se comportar no poder: secularismo, socialismo e não-alinhamento em política estrangeira.
Dois anos depois de sua morte, sua filha única, Indira, assumiu o posto de primeiro-ministro.
Ela governou por 15 anos, de 1966 a 1977 e de 1980 a 1984, levando a Índia à guerra de 1971 contra o Paquistão, que resultou na criação de Bangladesh.
A campanha que ela fez contra os sikhs que estavam procurando a independência no Punjab também foi igualmente polêmica.
Ela deu ordens para o ataque do lugar mais sagrado para os sikhs, o Templo Dourado, em Amristar, em 1984, que deixou 450 pessoas mortas.
Assassinada
Cinco meses depois, Indira Gandhi foi assassinada a tiros por seus guarda-costas sikhs.
Embora a dinastia Nehru-Gandhi tenha vencido as eleições seguintes, com muitos votos de simpatia, os sucessores de Indira não foram felizes.
O filho mais novo de Indira, Sanjay, que estava sendo preparado para o cargo, morreu em um acidente aéreo em 1980.
Assim, Rajiv se tornou o primeiro-ministro mais jovem da Índia.
O país precisava desesperadamente ser modernizado e reduzir sua burocracia.
Em 1991, Rajiv foi assassinado num ataque suicida atribuído a rebeldes dos Tigres Tamis, do Sri Lanka.
Inexperiência
Sem um Gandhi no comando, o Partido do Congresso pareceu ser levado pela corrente.
Embora tenha feito dois primeiro-ministros de fora da dinastia, o partido estava dividido e dominado por uma minoria.
Sonia Gandhi tinha se voltado para sua vida particular, de luto pela morte de seu marido, mas o Congresso se voltou para ela aparentemente em desespero, para que ela o tirasse da posição ruim em que se encontrava.
Os sinais iniciais não foram bons, já que a inexperiência política de Sonia parecia mais importante do que o carisma em torno do nome da família.
Sua origem italiana também foi motivo de críticas entre os nacionalistas.
Mas o Partido do Congresso confiou na herança da dinastia, e na quinta-feira viu a roda da fortuna virar a seu favor.

quarta-feira, 29 de agosto de 2018

Kofi Annan, ex-secretário geral da ONU e Nobel da Paz, morre aos 80 anos, no El Pais


Kofi Annan, em Nova York em 2012. GETTY

Nascido em Gana em 1938, Annan faleceu em Berna após uma breve doença

O ex-secretário geral da ONU Kofi Annan (Kumasi, Gana, 1938), que ocupou o cargo entre 1997 e 2006, morreu no sábado em Berna aos 80 anos, segundo informação da Organização Internacional das Migrações (OIM) em publicação no Twitter. “Hoje lamentamos a perda de um líder, um líder e um visionário: ex-secretário geral da ONU. Uma vida bem vivida. Uma vida digna de ser comemorada”, escreveu o órgão. Annan ganhou o Nobel da Paz em 2001 “por seu trabalho por um mundo melhor organizado e mais pacífico”. Em 2012 também recebeu o Prêmio Confúcio da Paz por “sua enorme contribuição à reforma e ressurgimento das Nações Unidas e como enviado especial da ONU e da Liga Árabe na Síria”.

quarta-feira, 22 de agosto de 2018

Arthur Leandro, Tata Kinamboji, spin professor

Atualização - 21/06/2018

As mata tem moradô, de Tata Kinamboji

"(...)

 mata da CEASA é considerada como área vermelha para a polícia do Pará, tida como ponto de desova de defunto e temida pela maioria da população, mas um lugar frequentado pelos povos tradicionais de matriz africana, um lugar de oferendas... Um marco monumento escondido numa clareira da mata, assim é As mata tem moradô, de Táta Kinamboji (Arthur Leandro), para ele é uma obra invisível para um povo invisível, para espectador específico, arte pra ser vista apenas por quem frequenta o local, ou por seus irmãos de terreiro.

quarta-feira, 20 de junho de 2018

Pierre Verger



http://www.candomblesemsegredos.com.br/blog/cultura?p=4&cat=cultura

B.B. King morreu aos 89 anos em Las Vegas


por Tony Capellão

O cantor e guitarrista B.B. King, lenda do blues, morreu aos 89 anos em Las Vegas, informam as agências internacionais. O músico morreu em casa às 21h40min (horário local) de quinta-feira, conforme seu agente Brent Bryson.



O cantor esteve hospitalizado em abril para tratar de uma desidratação causada por uma diabetes do tipo II. Em outubro de 2014, o cantor também teve de ser internado e cancelou uma turnê que iria fazer nos Estados Unidos por recomendação dos médicos.

onsiderado o Rei do Blues, B. B. King influenciou uma geração de músicos, como Eric Clapton, Mike Bloomfield e Stevie Ray Vaughan. Segundo uma lista da revista Rolling Stone, ele era o terceiro maior guitarrista do mundo — atrás apenas de Jimi Hendrix e Duane Allman. No dia 1º de maio, uma mensagem do músico foi postada em sua página oficial no Facebook. Nela, B.B. King informa sobre sua recuperação em casa e agradece às orações por sua saúde.

B. B. (sigla para Blues Boy) King nasceu Riley B King em Indianola, Mississippi, em 16 de setembro de 1925. Quando era jovem, trabalhou no campo com os pais. Com a música dos colegas de trabalho no campo, o blues foi a primeira introdução à música que ele se dedicaria e da qual se tornaria o principal representante.


O primeiro violão foi comprado quando ele era adolescente, para tocar em igrejas. Em 1947, B.B. King mudou-se para Memphis, onde começou a trabalhar em uma rádio. Uma das histórias que contam sobre Lucille, o nome de sua guitarra, é que ele voltou para salvar o instrumento em um clube onde tocava e pegou fogo após uma briga por causa de uma mulher — chamada Lucille.

O primeiro disco saiu em 1949 e o músico liderou as paradas de rhytm and blues com Three O’Clock Blues. A canção permaneceu no número um por 17 semanas. Muitas de suas primeiras gravações foram produzidas pelo lendário Sam Phillips, que viria a fundar a Sun Records. Outros discos de sucesso foram Sweet Black Angel, Rock Me Baby and Every Day I Have the Blues. Por causa disso, B.B. King se apresentou em locais como o Teatro Apollo, no Harlem, New York.

Conforme a BBC, foi graças à influência de bandas britânicas como os Yardbirds, The Animals e os Rolling Stones que as audiências brancas, primeiro no Reino Unido e mais tarde nos Estados Unidos, começaram a gostar de blues.
B. B. King começou a ser aceito em locais que por muito tempo haviam sido fechadas para músicos negros. Um de seus momentos mais emocionantes foi quando ele recebeu uma ovação de pé por um público principalmente composto de brancos no teatro Fillmore West, em San Francisco, em 1968.



No Reino Unido, The Thrill is Gone figurou em um top vinte nas paradas, em 1969. Vinte anos depois, o sucesso feito com a gravação de When Love Comes To Town, juntamente com a banda U2.a


quarta-feira, 23 de maio de 2018

Alberto Dines, spin psiJornalista

Tanta gente que partiu....há aqueles que morreram de desgosto após um ataque súbito como se sucedeu com Dona Marisa..... hå os que não querem mais viver e resolvem partir...
....os que resistem, como Lula, estão sendo silenciados com prisões injustas e desproporcionais numa estratégia de imobização e amodaçamento das massas e desmonte das organizações sociais e partidos que tenham programa anti-imperialismo e de desenvolvimento nacional com inclusão social...
....outras lideranças, como Mariele Franco e tantas outras, são assassinadas nessa estratégia do silenciamento e imobilização impostos....
....da pra ver que, apos a prisão de Lula, a Globo jå não tem mais um contraponto perante as massas, o que era o sonho de consumo para o regime golpista...
...esse pais estå uma paz só: a paz dos cemitėrios imposto pelos coveiros anti-povo e anti-democracia: o presidente postiço tem cheiro de morte....
....descanse em paz amigo Dines...

A morte do mestre Alberto Dines, por Luis Nassif 

quinta-feira, 17 de maio de 2018

Roberto Farias, spin psicineasta

Esse regime golpista tem cheiro de morte....só transpira morte....todo mundo partindo...e haja ignorância sobre a história dos que partem....

Denser e outras 2 pessoas compartilharam uma publicação.
Jorge FurtadoSeguir
O golpista Michel Temer lamentou a morte de Roberto Farias citando um único filme: "Toda a nudez será castigada", de Arnaldo Jabor.

terça-feira, 8 de maio de 2018

Ernesto Nazareth, spin músico

Última foto de Ernesto Nazareth, extraída de seu prontuário médico (fotógrafo não identificado).
Coleção Maestro Mozart de Araújo – Centro Cultural Banco do Brasil.


Em 19 de janeiro de 1933, o compositor recebeu alta do Hospício Nacional de Alienados; no entanto, o agravamento de sua perturbação mental motivou nova internação, em 4 de março de 1933, desta feita na Colônia Juliano Moreira, em Jacarepaguá. 


No dia 1º de fevereiro de 1934, data natalícia de seu filho Ernestinho, Ernesto Nazareth fugiu da Colônia Juliano Moreira, falecendo, possivelmente, nesse mesmo dia; três dias depois, seu corpo foi encontrado, em adiantado estado de putrefação, dentro de uma represa, distante cerca de 1 km da sede da instituição. O laudo do Instituto Médico Legal confirmou a hipótese de afogamento – asfixia por submersão – mas, até hoje, não se sabe se decorrente de suicídio ou acidente. De acordo com Luiz Antônio de Almeida, o corpo de Nazareth chegou às dependências da Colônia Juliano Moreira sobre uma padiola iluminada por tochas; Ernestinho (filho), Eulina (filha) e Maria Mercêdes (professora gaúcha, amiga de Eulina), que aguardavam na administração, ficaram chocados ao depararem com o corpo do compositor que, com os braços rigidamente projetados para cima, passava a todos a impressão de estar vivo sob o lençol. A propósito, em mensagem que me enviou em 2008, o biógrafo de Nazareth reproduz importante depoimento da pianista carioca Maria Alice Saraiva (1913-2001)³ a respeito das condições em que foi encontrado o cadáver do compositor:

sábado, 5 de maio de 2018

Alex, da ALN, spin Estudante


.................

Após 42 anos, Estado reconhece que corpo era de Alex

http://agenciabrasil.ebc.com.br/direitos-humanos/noticia/2014-03/apos-42-anos-restos-mortais-de-estudante-morte-pela-ditadura-sao

A Comissão da Verdade do Estado de São Paulo "Rubens Paiva" realizará em parceria com a Comissão Nacional da Verdade audiência pública nos dias 24 e 25 de fevereiro de 2014 sobre oito casos de militantes da Ação Libertadora Nacional (ALN). Nesta ocasião, serão tratados os assassinatos de: Alex de Paula Xavier Pereira, Gelson Reicher, Iuri Xavier Pereira, Ana Nacinovic Corrêa, Marcos Nonato da Fonseca, Arnaldo Cardoso Rocha, Francisco Emanuel Penteado e Francisco Seiko Okama. 

Para esta audiência, a Comissão Nacional da Verdade convocou agentes públicos acusados de participação nas violações dos militantes da ALN. 

https://www.al.sp.gov.br/noticia/?id=355421

Comissão da Verdade

O caso Alex e outros

http://comissaodaverdade.al.sp.gov.br/mortos-desaparecidos/alex-de-paula-xavier-pereira

Alex e |Iuri

http://memoriasdaditadura.org.br/biografias-da-resistencia/iuri-e-alex-de-paula-xavier-pereira/index.html